Saiba Como o Espiritismo Comprova a Nobre Missão de Jesus Cristo

Jesus Cristo
Compartilhe!

Resolvi escrever sobre Jesus Cristo dada a tamanha importância da influência que sua passagem por este chão há dois mil anos ainda possui entre os seres humanos. Há mais de dois mil anos que sua vida é tema de livros e seus seguidores somam mais de 1,2 bilhão de pessoas que leem a bíblia pelo mundo. Neste texto vamos explicar a relação entre a concepção do menino Jesus no ventre de Maria, a ação do chamado “Espírito Santo” e a relação entre este pilar do cristianismo e a doutrina espírita. Mais do que isso: a concepção e a missão de Jesus podem ser comprovadas, com base e lógica, através da doutrina espírita e desta mecânica invisível do chamado mundo espiritual. Caso você tenha alguma dúvida, deixe sua opinião que responderemos assim que possível.

O Poder de Jesus Cristo, São José e a Influência do Espírito Santo

Como já disse em outros textos, fui batizado na Igreja de Nossa Senhora do Brasil e frequentei por muitos anos a Igreja de São José, ambas em São Paulo, e me sinto confortável para falar do assunto. Hoje evolui e compreendo que não existe mágica, não existe efeito sem causa. E a causa do nascimento de Jesus é um dos pontos mais criticados por pessoas que não seguem o cristianismo. Mas não há o que criticar se você conhece pelo menos um pouco da mecânica invisível e dos movimentos do chamado mundo espiritual.

Vamos com muita calma pois este assunto ainda gera muita polêmica. Bem, o filho de José tinha um poder de transformar, ele magnetizava as multidões ao redor com seu exemplo de bondade e humildade. Jesus desenvolveu a parte magnética do seu ser ao extremo quando passou uma temporada no deserto e aprendeu os segredos da natureza. Ele usou seu dom magnético para a caridade, diferente, por exemplo, do primeiro Faraó que era um ser terrível e usava o magnetismo para o mal.

Jesus procurava fazer o bem sem ver a quem e semeava lições de humildade, bondade e caridade por onde passava, encantando a todos com as comprovações de sua missão. Afinal, seja multiplicando os peixes ou curando os doentes com certa facilidade, percebe-se que ele não era um homem comum e tinha uma missão singular entre os homens.

A Comprovação da Singular Concepção de Jesus Está na Doutrina Espírita

Voltemos a José e ao Espírito Santo. Das cinco vezes que a palavra sonho aparece no Novo Testamento, quatro estão relacionadas a José. Em seu livro ‘José, a personificação do Pai’, o teólogo Leonardo Boff diz que São José não nos deixou nenhuma palavra. Entregou-nos seu silêncio e seu exemplo de homem justo, trabalhador, esposo, pai e educador. E ao falar do nascimento de Jesus Cristo, Boff cita duas passagens interessantes do Novo Testamento envolvendo José e a concepção de Cristo.

Lucas conta que “no sexto mês (de gestação), o anjo Gabriel foi enviado da parte de Deus para uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré, a uma virgem, prometida em casamento a um homem, chamado José, da casa de Davi”. Noutra passagem, Mateus conta o que um anjo disse a José num sonho: “José, filho de Davi, não tenhas receio de receber Maria, tua esposa. Pois o que nela foi gerado, é do Espírito Santo”.

Quando uma pessoa nasce, ela traz consigo a herança energética do seu passado. A pergunta que deve ser feita é: quem foi Jesus antes de sua mais célebre existência? Cristo era um ser evoluído, formado de energia elétrica e magnética, que materializou-se naquele menino para cumprir a nobre missão de inspirar a humanidade e deixar um ensinamento de amor, respeito e caridade.

Entenda a Relação Entre Jesus Cristo, o Espírito Santo e São José

Jesus era o homem e Cristo era a energia. Jesus Cristo era o Espírito Santo materializado. Os espíritas chamam isto de reencarnação: uma energia elétrica e magnética, que faz parte deste conjunto elétrico e magnético formado por Sol, lua, estrelas, água, terra, animais e vegetais, deixa seu estado de energia e materializa-se no nascimento de uma criança. E o Espírito Santo materializou-se na concepção do menino no ventre de Maria. Houve uma relação normal entre um homem e uma mulher e daí veio a energia, que é Cristo, dar causa ao homem, Jesus. Já estava tudo planejado pelos desígnios maiores da natureza.

Diversas religiões chamam de idas e vindas, carma, reencarnação, há diversos nomes para explicar porque uma criança nasce cega, surda, sem um braço, morta. E no caso de Jesus, com a nobre missão de ajudar a evolução da humanidade. Mas, na verdade, não é reencarnação, mas sim transformações da natureza, pois não existe efeito sem causa. Para entender a concepção de Jesus devemos antes entender que a causa do ser humano, e de todos os seres materiais, é energia.

A sombra é o efeito do corpo e o corpo é a sombra da energia que dá causa aos seres. E a comprovação de que Jesus era um homem diferente dos demais pode ver vista adiante em outra passagem do Novo Testamento. O espírito que identifica-se como Gabriel é um corpo fluídico elétrico e magnético, um habitante do mundo invisível — deste vácuo que existe entre o Sol e a Terra — diferente dos seres humanos, que são corpos em matéria fluídica elétrica e magnética. Gabriel é um espírito diferente do Espírito Santo, que é a força, a energia que deu causa a Jesus.

Durante o ato, a conjunção carnal entre homem e mulher, há a formação, a concepção do ser. Os seres humanos são corpos de energia elétrica e magnética, diferente dos espíritos como Gabriel e tantos outros, pois estes são corpos fluídicos, são energia elétrica e magnética. Mas a causa é a mesma dos corpos dos homens e dos espíritos. Energia. No caso de Jesus, a energia que concebeu sua existência e lhe deu vida teve influência direta de um espírito, o Espírito Santo. Cristo é o próprio Espírito Santo, um ser evoluído, formado pela energia elétrica e magnética, que teve a coragem de materializar-se entre os atrasados romanos.

Cristianismo e Espiritismo tem Mais em Comum do que Você Pensa

E se 1,2 bilhão de católicos atribuem a um ser invisível, habitante do mundo invisível, o fato de Jesus ser um homem escolhido para “salvar a humanidade de seu pecados”, podemos concluir que um dos pilares do catolicismo baseia-se na doutrina espírita. Fato. E isso é lindo, está tudo certo e devemos semear concórdia e entendimento. A mensagem de Jesus deve ser entendida com amor e união, tolerância e bondade. Somos todos de uma origem só, somos irmãos de origem e devemos ter respeito a tudo e todos.

Cristianismo e espiritismo referem-se a uma vida superior à material, uma vida sem misérias, onde a caridade, a fraternidade e humildade reinam. Vamos esquecer as diferenças e unir a humanidade. Jesus Cristo semeou amor e compreensão. Os espíritas semeiam amor e compreensão. Vamos no amar e respeitar uns aos outros.

Conheça 11 Trechos da Bíblia que Anunciam a Cultura Racional

cta 1

Optimized-site oficial da CR

Conheça o site oficial da Cultura Racional

Sobre 

Luiz é estudante de Cultura Racional dos Livros Universo em Desencanto, jornalista e rapper. Ouça nosso rap e baixe gratuitamente no Soundclod: https://soundcloud.com/filhosdoracionalsuperior

    Find more about me on:
  • facebook
  • youtube

Compartilhe!

2 thoughts on “Saiba Como o Espiritismo Comprova a Nobre Missão de Jesus Cristo

  1. Bruno Mendonça

    – Cristianismo e Espiritismo tem Mais em Comum do que Você Pensa
    Resposta: Podem ser em comum em termo de ensino ao amor, mas não em termo doutrinários. Vejamos a doutrina das duas:
    Espiritismo: Jesus era o homem e Cristo era a energia. Jesus Cristo era o Espírito Santo materializado.
    Cristianismo: O Senhor Jesus foi gerado do Espirito Santo sim, mas não foi materializado ou como o espíritismo chama de “reencarnado”, ele foi gerado pelo Espírito de Deus proveniente do Pai, com a mesma natureza divina do Criador (Eternidade, Onipotencia, Uniciencia e Onipresença). Em relação de Jesus ser o Cristo, não trata de que ele era uma energia, mas sim, dele ser o Ungido [Χριστός (Khristós), no grego] de Deus, de ser o Messias [(Māšîaḥ), no hebraico] Salvador e Rei prometido pelo Senhor. E outra, Jesus nunca e jamais foi feito de uma relação sexual do homem com a mulher, ou seja, de José com Maria, pois estaria negando de que ele foi gerado pelo próprio Espírito Santo. Realmente há controvésias claras sobre tudo isso.

    • luizrodrigues2011 Post author

      Olá Bruno, como vai? Obrigado por sua visita ao nosso website. Na verdade, Jesus não era filho de José. Ele era filho de Maria com o Rei que mandou, tempos depois, perseguir todas as crianças nascidas em sua época. Será que você poderia falar um pouco mais sobre o espírito de Deus? Como ele é? Um abraço!

Comments are closed.