Um Olhar Racional sobre a Oração de Francisco de Assis

Compartilhe!

Já falamos antes sobre a relação entre Francisco de Assis e a Cultura Racional. Sobretudo explicando mais detalhes sobre o Centro Espírita que alcançou o Astral Superior em 1935, a Tenda Espírita Francisco de Assis.

Agora, vamos comentar, pontualmente, e racionalmente, a Oração de Francisco de Assis. A ideia aqui é analisar as palavras de Francisco de Assis sob a ótica de um estudante de Cultura Racional, dos Livros Universo em Desencanto.

“Senhor, Fazei-me Instrumento de Vossa Paz”

A paz de Deus é a concórdia. Pois Deus vence com amor, carinho e com a sua suprema benevolência Racional. O ser humano vive há milhares de anos como aparelho, como instrumento das forças elétricas e magnéticas.

E para que o ser humano seja um instrumento da paz de Deus deve, em primeiro lugar, entender que Deus identificou-se pois está olhando a Terra. Conhecer a identidade de Deus significa reconhecer o elo perdido com a origem.

E, como não há efeito sem causa, para que o ser humano seja Seu instrumento, seja como um aparelho de rádio que transmita as palavras de paz, amor, concórdia e fraternidade de Deus, deve se ligar à energia de Deus, a energia da origem: a energia Racional.

“Onde Houver Ódio, que eu Leve o Amor”

O ódio é justamente a influência destas duas energias inconscientes. A energia magnética alimentou durante muitos anos apenas a imaginação da humanidade. Em seguida, tivemos a fase da energia elétrica alimentando o pensamento dos povos.

Atualmente, temos a energia Racional desenvolvendo o raciocínio. A energia Racional é a energia da origem; é a energia que deu — por fatores naturais da deformação do universo — consequência a estas duas energia degeneradas, deformadas, poluídas e enfraquecidas.

E onde está a energia elétrica e magnética está o ódio. Onde está a energia elétrica e magnética está a discórdia, as brigas, os desentendimentos, a dúvida, a inconsciência, a vaidade, a arrogância, a presunção, as mentiras, as aparências, as falsidades. Enfim, está tudo de ruim.

Por isso, o ódio é elétrico e magnético e o amor verdadeiro é Racional. Pois a vida verdadeira é Racional e a vida de aparências é esta vida material.

“Onde Houver Ofensa, que eu Leve o Perdão”

Com o desenvolvimento do raciocínio a humanidade vai se ligar à energia Racional, a energia da origem do universo e suas sete partes fundamentais: sol, lua, estrelas, água, terra, animais e vegetais.

O ser humano vai ficar imunizado racionalmente das influências destas duas energias destruidoras. E quando toda a humanidade estiver desenvolvendo o raciocínio, os homens vão levar perdão onde existe ofensa, vão levar união onde existe discórdia, vão levar fé onde existe dúvida.

Pois onde ninguém se conhece, onde ninguém conhece a sua verdadeira origem e entende a razão de ser do universo, há dúvidas. E das dúvidas nasce o desequilíbrio, a discórdia, as brigas e as guerras.

“Onde Houver Erro, que eu Leve a Verdade”

Os erros são os efeitos das energias elétrica e magnética. Pois o pensamento e imaginação não foram feitos para acertar. Há muito tempo que a humanidade vem pensando e imaginando e nunca conseguiu resolver os seus problemas.

O raciocínio é a concórdia, pois todos concordam com todos. E o pensamento é a discórdia, com todos discordando de todos. O raciocínio tem a missão de fazer a religação do ser humano ao seu verdadeiro estado natural. E o pensamento é para lapidação.

Pois o verdadeiro estado natural do ser humano não é a condição material de sofredor e mortal. O verdadeiro estado natural é uma condensação de massa cósmica pura, limpa e perfeita, habitando no nosso verdadeiro mundo de origem, o Mundo Racional.

E a verdade é Racional. E a mentira é a energia elétrica e magnética que, por estar fora de seu verdadeiro estado natural, por si mesma se destrói.

“Onde Houver Desespero, que eu Leve a Esperança”

O desespero está no sofrimento, que é o maior brilhante do dia de quem vive pensando e imaginando. Mas o sofrimento não faz graça para ninguém rir. E a esperança é a última que morre, querendo dizer que após viver uma existência condenado a nascer, sofrer e morrer, o ser humano tem a morte como o grande fim.

E todos que não se conhecem ficam desesperados com a ideia de morrer. Pois acreditam que a matéria é a verdadeira vida e, por isso, vivem a vida ambicionando tudo que é de material, numa espécie de abismo de si mesmo que se aprofunda dia após dia.

Por isso, a esperança da humanidade é entrar em contato com a energia Racional e, desta forma, obter paz, tranquilidade, equilíbrio e harmonia com tudo e todos. E, assim, onde houver tristeza, a energia Racional vai levar alegria. E onde houver trevas, que a Cultura Racional leve a luz.

Pois a energia Racional, a luz Racional, já está brilhando no Universo. E esta luz é uma luz nunca vista e sem igual. É a luz da salvação da humanidade.

“Ó Mestre, Fazei que eu Procure mais Consolar que ser Consolado”

O estudante de Cultura Racional tem compaixão pelo próximo, pois entende que quem não se conhece vive contra si mesmo. E por viver contra si mesmo vive contra a natureza. Por isso, a natureza se revolta contra seus filhos que teimam em viver uma vida de ilusões, aparências e falsidade.

A natureza se revolta com maremotos, terremotos, tempestades, furacões, doenças incuráveis, pensamento, imaginação e uma série de maus-tratos para que, através da lapidação, o ser humano se desencante desta vida de matéria e tenha condições de compreender a sua cultura, a Cultura Racional.

Por isso, todo estudante de Cultura Racional semeia a paz e procura antes compreender do que ser compreendido e amar antes de ser amado. Pois o verdadeiro amor é puro, limpo e perfeito, diferente deste amor de matéria que é baseado na paixão inconsciente que aprisiona, confunde e destrói.

Aprendemos na prática, ao divulgar os Livros Universo em Desencanto, que é dando que se recebe. Pois a energia Racional está sempre presente quando falamos de Cultura Racional.

Quando desejamos o bem ao próximo, recebemos o bem. Quando desejamos o mal, recebemos o mal. Pois somos todos um, a origem é um só. A energia da origem é um só. E antes de sermos corpos deformados em matéria elétrica e magnética, eramos todos a mesma energia, a mesma essência.

Por isso,  por estarmos conectados energeticamente pelo antes de ser, quando fazemos o bem, recebemos o bem. Pois somos todos o mesmo ser, a mesma energia. mas estamos apenas deformados em corpos diferentes. E é isto que significa amar ao próximo como a si mesmo. Somos todos um, somos todos Racionais.

“É Perdoando que se é Perdoado, e é Morrendo que se Vive Para a Vida Eterna”

Como dissemos no início, Deus identificou-se pois nos perdoou. Nos perdoou por termos dado consequência a este universo deformado em matéria elétrica e magnética. E este fato está muito bem descrito neste belo texto escrito por Suely Santos Lima, estudante de Cultura Racional, e publicado no Jornal Racional de maio de 1978, falando sobre o Livro Universo em Desencanto, o Conhecimento Natural da Natureza.

Então, a vida eterna espera quem tiver firmeza e determinação, persistência e paciência para se firmar nas transmissões racionais e desenvolver o seu raciocínio através do estudo da Cultura Racional.

capa universo em desencanto


Compartilhe!

Sobre 

Luiz é estudante de Cultura Racional dos Livros Universo em Desencanto, jornalista e rapper. Ouça nosso rap e baixe gratuitamente no Soundclod: https://soundcloud.com/filhosdoracionalsuperior

    Find more about me on:
  • facebook
  • youtube

Gostou do texto?

Powered by Facebook Comments