A Palavra de Deus e os Mestres do Encanto

palavra de deus e a morte na fogueira da inquisição
Compartilhe!

Para a maioria da humanidade, Deus foi o arquiteto criador deste mundo em que vivemos. Neste texto vamos explicar porque esta noção não tem base nem lógica e como a palavra de Deus vem sendo deturpada pelos mestres do encanto há centenas de anos. Afinal, o uso da palavra de Deus para fins políticos e comerciais é evidente na história da humanidade. Um ser supremo, poderoso, milagroso, uma divindade transcendental, o alfa e o ômega, não iria concordar que seus filhos trucidassem, torturassem, estuprassem, esquartejassem seus inimigos, como, por exemplo, fez a Igreja Católica na chamada Santa Inquisição. Caso você tenha alguma dúvida, deixe sua opinião ao final que responderemos assim que possível.

O ser Humano Desvirtuou a Palavra de Deus

De agora em diante, a ideia é esclarecer alguns aspectos de como a humanidade, desde o incremento do pensamento, começou a tirar vantagem do seu semelhante através da palavra de Deus. Uns eram melhores do que os outros, afirmando que suas crenças, hábitos e costumes, seus filhos e seus ancestrais eram os que estavam mais próximos da palavra de Deus. E o resultado era simples: morte a quem discordava. Simples assim.

Deus não Criou Sofredores e Mortais a sua Imagem e Semelhança

Já ouvi muita gente dizer que Deus fez a humanidade a sua imagem e semelhança. Respire fundo e acompanhe o raciocínio. Uma força superior, que deu causa a estes fenômenos  deformados em matéria elétrica e magnética, teria criado seres materiais a sua imagem e semelhança? Certamente não. Um ser perfeito, poderoso e superior a tudo e a todos não faria, por capricho, ódio ou brincadeira, um ser humano sofredor e mortal. Um ser humano que não tem o direito de viver e morre sem querer.

Deus não faria doenças incuráveis, não faria uma natureza desequilibrada. Pois uma hora é frio de matar, depois calor de matar, tempestades, raios, furacões, maremotos, terremotos, doenças incuráveis, enfim. Se o ser humano não se alimentar ele morre, se não tomar banho fica insuportável, ninguém chega perto. A essência do ser humano é a regência deformada da lei de causa e efeito da energia solar r entender que o universo e o ser humano são deformados, degenerados e poluídos é estar mais perto da realidade. Acredite: Deus não faria seres mortais. O amor de Deus não é imperfeito e cheio de defeitos.

O ser Humano é um Vago Bicho Egoísta e Inconsciente

De que forma um ser que desconhece a sua origem neste chão pode afirmar que conhecia a palavra de Deus e matar em seu nome? O ouro que serve de alicerce para as colunas do Vaticano está banhado em sangue de pessoas que discordavam da crença de que os católicos eram os mensageiros de Deus neste chão. Não quero aqui detonar os católicos, afinal, eu mesmo fui batizado lá em São Paulo na Igreja Nossa Sra. do Brasil, frequentava a Igreja de São José com meu pai todos os domingos. Tenho um grande respeito pela bíblia sagrada dos católicos pois ela foi precisa e, ainda é para muitos, necessária. Mas não podemos ser ingênuos e tapar o Sol com a peneira. A verdade é simples e natural e por si mesma cresce e refloresce. Fazer o quê, não é?

Somente o Deus-Homem é que Mata em Nome da Força Suprema

Volto a falar da Inquisição como prova das barbaridades e atrocidades. Mas não preciso nem ir tão longe. A crença de que Deus é a justificativa para sacrifícios em seu nome foi usada pelo nazismo de Hitler para justificar a raça pura. A pureza de Adolf nunca poderia ser encontrada na condição material na qual vive preso o ser humano. Hitler criou uma nova regência, uma nova religião, pois tudo que rege é religião. Ele matou quem considerava impuros. Acreditava estar certo, acreditava ser Deus, acreditava ser um enviado supremo que teria o poder de decidir quem poderia viver ou não. Dizer que Hitler estava errado é o mínimo. Era um doente mental.

Mas o ponto que quero falar antes de encerrar este texto é o fanatismo, que levou milhares de pessoas à morte na Inquisição e outras milhares na matança que Hitler promoveu em nome de seus ideais.

E o que há em comum entre a Inquisição e Hitler? Nos dois casos, suas crenças não passavam de ideias vazias, sem base e sem lógica. E baseadas nestas crenças inconscientes de sofredores e mortais, trucidaram quem viam pela frente em nome da pureza, da perfeição, em nome de seus ideias de bicho inconsciente que nasceu sobre esta terra sem saber porque e nem para quê. Queriam consertar o mundo, mas não se conheciam. Queriam consertar o mundo, mas eram tortos e espalharam sua tortura por onde passaram.

Leia o Artigo Principal

Sobre 

Luiz é estudante de Cultura Racional dos Livros Universo em Desencanto, jornalista e rapper. Ouça nosso rap e baixe gratuitamente no Soundclod: https://soundcloud.com/filhosdoracionalsuperior

    Find more about me on:
  • facebook
  • youtube

Compartilhe!